QUELUZ DE MINAS

 

 “Tal como o passado não é a história, mas o seu objeto, também a memória não é a história, mas um dos seus objetos e, simultaneamente, um nível elementar de elaboração histórica.”

(Jaques Le Goff)

 

COLCHA DE QUELUZsite.jpg

Reprodução proibida

Foto/Presente de Ronei Fabiano Alves

Gratidão

Partidos Políticos no Brasil 

 

“Os partidos políticos no Brasil existem desde a primeira metade do século XIX

Vários agrupamentos surgiram desde então, porém, por razões históricas, nenhum deles durou muito

Assim, não existem partidos centenários no Brasil como é comum noutros países

Frequentemente, as organizações partidárias brasileiras foram forçadas a ter de começar nova trajetória: tais rompimentos ocorreram pela implantação da República, em 1889 (que sepultou os partidos monarquistas), pela revolução de 1930 (que desativou os partidos republicanos), pelo Estado Novo (1937 a 1945, o qual vedou a existência de partidos), pelo Regime Militar de 1964 (que conffinou “manu militari” os partidos políticos a um artifficial bipartidarismo)

Assim em termos de criação de partidos, a média no período entre 1945 e 1979 foi 1,2 por ano, totalizando 42 siglas registradas.

 Já os 35 partidos políticos existentes em 2016 corresponde à média de 1 partido registrado por ano no período de 1981 a 2016 (...)

 

Atualmente, existem 33 partidos legalizados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Fonte: Wikipédia

NOTA DA EDITORA

 

Esse é um site artesanal.

O site é independente e aberto a todos aqueles que desejam agregar, com seriedade, algum valor didático ou qualquer informação documental sobre o tema "´Queluz de Minas"

Penso que devemos e merecemos estudar Queluz de Minas sem associar a região o tempo todo aos interesses políticos e aos interesses dos partidos políticos locais (tão abundante em função de seu ilustre passado), mas sempre como uma forma de preservar a sua cultura, resgatar as suas memórias e aprender com a sua história e as suas biografias humanas 

A questão sobre as fontes primárias e documentais pode ser vista ao longo de cada reedição

Defendo o estudo e o saber transdisciplinar e interdisciplinar

 

Eneida C. Guimarães

Nova Lima, 30 de maio de 2020

 

"