"QUELUZ DE MINAS" FOI O NOME POPULAR DA VILA REAL DE QUELUZ


INTRODUÇÃO


Nesta antiga cidade mineira, nasceu em 1916, FÚLVIO DE ALMEIDA GUIMARÃES  (1916 *  2014+)
Quando ele completou os seus doze anos de idade, ganhou um livro de presente de seu padrinho, o advogado
Fábio Maldonado, que o marcaria para sempre: "História de Minas Geraes - Resumo Didactico"-Uma linda obra de Lúcio José dos Santos, da Editora Melhoramentos, São Paulo.

Nasce, então, um jovem encantado por nossa história e pelo trabalho dos nossos historiadores.


Fúlvio foi um homem disciplinado, que amava profundamente o país, a sua família e a terra natal.
Depois de aposentado, já mais velho, passou a dedicar-se ao que mais gostava: o estudo da história.
De suas pesquisas pessoais, nasceram duas publicações:


LASCAS E GRAVETOS DA HISTÓRIA DOS LATINOS
Editora Itatiaia 2004 


ROMEU GUIMARÃES DE ALBUQUERQUE E QUELUZ DE MINAS
Edição do Autor 2010


Em seu primeiro livro, ele "recorta" ("lascas e gravetos") os fatos que influenciaram a construção da nossa identidade latina; no segundo, escreve as suas memórias de infância na cidade de Queluz de Minas, cita personalidades da região, fatos correlatos e apresenta parte da genealogia das famílias.


Escreve:


"O que me levou a escrever essas "antiguidades" advém da necessidade de expressar-me em silêncio o resultante daquilo que sempre gostei de fazer, a leitura.

Dizia o meu antigo professor: "quem escreve, lê duas vezes".

Não apenas duas, sabe o leitor.

Afinal, lemos para aprender algo ou transmitir o que assimilou a alguém que o consentir."


                                                   ........................................................................................................................



PEQUENO HISTÓRICO SOBRE QUELUZ DE MINAS


É importante frisar que existiu durante o histórico da República Velha a Cidade de Queluz (Vila Real de Queluz) e a Comarca de Queluz, sendo que, as duas, são entidades distintas.


"Em 1714, foram criadas as primeiras Comarcas de Minas Gerais: Comarca de Vila Rica (Ouro Preto), Comarca do Rio das Velhas (Sabará), Comarca do Rio das Mortes (São João del Rei).

A Província de Minas, em 1872, contava mais de dois milhões de habitantes, tinha oitenta e três municípios e era dividida judiciariamente em quarenta e sete comarcas. Só que Minas continuava sem a sua Corte de Segunda Instância, estando todas as suas comarcas sob jurisdição do Tribunal da Relação do Rio de Janeiro.

(...) No dia 6 de agosto de 1873, com a publicação do Decreto Imperial nº 2.342 de Dom pedro II era criada a Relação de Minas, com sede em Ouro Preto."

Fonte - Texto de autoria do Prof. Ricardo Arnaldo Malheiros Fiuza transcrito do site do TJMG


A Cidade de Queluz -   Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre dos Carijós.


Fonte: Arquivo Público Mineiro


Passou a Vila Real de Queluz em 19 de setembro de 1790 e pertencia à Comarca do Rio das Mortes (São João Del Rei)



A Comarca de Queluz foi criada pela Lei nº 1.867, de 15 de julho de 1872, composta pelos Termos de Queluz e Bonfim.


O mapa acima ilustra o que deveria ser a Comarca de Queluz, em meados de 1870, baseado nos documentos da época,

uma vez que não encontrei nenhum documento com um mapa oficial

É um mapa "fictício" meramente ilustrativo sendo proibida a sua reprodução!



Ela mudou de nome pelo Decreto Lei nº 11.274 de 27 de março de 1934 (República Nova) para Comarca de Conselheiro Lafaiete.


Pela Lei nº 11.274, em 27 de março de 1934 a cidade de Queluz teve o seu nome mudado para Cidade de Conselheiro Lafaiete (República Nova).


Na lista abaixo estão os nomes das cidades atuais (entre parênteses)  para demonstrar a importância administrativa e comercial da antiga Comarca de Queluz (República Velha).



COMARCA DE QUELUZ

Fonte: "Almanak. Administrativo, Civil e Industrial da Província de Minas Geraes do anno de 1874 para servir no anno de 1875.Organisado e redigido por Antônio de Assis Martins. Ouro Preto. Typographia de J.F. de Paula Castro. 1874."

Arquivo Público Mineiro



Município de Cidade de Queluz - Sede da Comarca


1-Freguezia e Districto de N. S. da Conceição de Queluz (Atual Conselheiro Lafaiete)

2-Districto de Santa'Anna do Morro do Chapéu (Atual Santana dos Montes)

3-Freguezia e Districto da Capella Nova das Dores (Atual Capela Nova)

4-Districto de N. S. da Glória (Atual Caranaíba)

5-Freguezia e Districto de Santo Amaro (Atual Queluzito)

6-Districto de S. Caetano do Paraopeba (Atual Casa Grande)

7-Freguezia e Districto de Santo Antônio da Itaverava (Atual Itaverava)

8-Districto do Carrapicho (Atual Joselândia)

9-Freguezia e Districto de Cattas Altas de Noruega (Atual Catas Altas da Noruega)

10-Freguezia e Districto de N.S. das Grotas do Brumado, de Suassuhy (Atual Entre Rios de Minas)

11-Freguezia e Districto de S. Braz de Suassuhy (Atual São Braz de Suaçuí)

12-Districto de Redondo (Atual Congonhas)

13-Freguezia e Districto do Lamim (Atual Lamim)

14-Município da Cidade do Bomfim (Atual Bomfim)

15-Districto do Rio Manso (Atual Rio Manso)

16-Freguezia e Districto de S. Sebastião do Itatiaiossui (Atual Itatiaiauçu)

17-Districto de N.S. das Dores da Conquista (Atual Capela Nova)

18-Districto do Brumado (Atual Brumadinho)

19-Freguezia e Districto de N. S. da Piedade dos Geraes (Atual Piedade dos Gerais)

20-Districto da Capella Nova do Desterro (Atual Entre Rios de Minas)

21-Freguezia e Districto de N.S. das Necessidades do Rio do Peixe (Atual Piracema)

22-Districto de N. S. da Conceição do Pará (Atual ?)

23-Freguezia e Districto de S. Gonçalo da Ponte (Atual Belo Vale)

24-Districto de Sant'Anna do Paraopeba (Atual Belo Vale)

25-Districto de N. S. da Boa Morte (Atual Moeda)

26-Freguezia e Districto de Santo Antônio do Morro de Matheos Leme (Atual Mateus Leme)

27-Districto de Bicas (pertenceu ao Município de Mar de Espanha)

                                                   ...............................................................................................................

REVISADO EM 23 DE OUTUBRO DE 2016


*SITE PROTEGIDO POR DIREITOS AUTORAIS / TRANSCRIÇÕES E CÓPIAS APENAS COM A CITAÇÃO DA FONTE E/OU AUTORIZAÇÃO DO AUTOR