Partidos Políticos no Brasil 

 

“Os partidos políticos no Brasil existem desde a primeira metade do século XIX

Vários agrupamentos surgiram desde então, porém, por razões históricas, nenhum deles durou muito

Assim, não existem partidos centenários no Brasil como é comum noutros países

Frequentemente, as organizações partidárias brasileiras foram forçadas a ter de começar nova trajetória: tais rompimentos ocorreram pela implantação da República, em 1889 (que sepultou os partidos monarquistas), pela revolução de 1930 (que desativou os partidos republicanos), pelo Estado Novo (1937 a 1945 o qual vedou a existência de partidos), pelo Regime Militar de 1964 (que confinou “manu militari” os partidos políticos a um artificial bipartidarismo)

Assim em termos de criação de partidos, a média no período entre 1945 e 1979 foi 1,2 por ano, totalizando 42 siglas registradas.

 Já os 35 partidos políticos existentes em 2016 corresponde à média de 1 partido registrado por ano no período de 1981 a 2016 (...)

Fonte: Wikipédia

Atualmente já existem muitos partidos legalizados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Em tempos de eleição municipal seja qual for o prefeito eleito encontrará grandes desafios sociais

A cada um dos prefeitos das mais de 20 cidades que tiveram como berço a política que envolve a antiga Cidade de Queluz eu desejo tudo de bom!

Sucesso! 

Um novo mundo nasce agora em tempos de pandemia

Que saibamos vivê-lo da melhor forma e com toda a união necessária para enfrentar tantos lutos e reviravoltas

 

Para cada um dos prefeitos da antiga região transcrevo parte do livro onde citamos os oragos* que deram origem a algumas das cidades pertencentes a Queluz

Fonte: Livro "Romeu Guimarães de Albuquerque e Queluz de Minas", edição do autor. 2010

 

                                                                              * Orago= santo a quem se dedica um templo ou uma capela; padroeiro.

CREAÇÃO E FUNDAÇÃO DA CIDADE E MUNICÍPIO DE QUELUZ
ESTADO DE MINAS GERAIS

(Emblema: uma prensa, um livro, papel e outros objetos)/Queluz de Minas/Typ. E Pap Monteiro & Comp.Rua Castilho Lisbôa, Nº 25/1907/Autor: Américo de Souza Lima.

 

    “No principio do século XVIII passado, um certo número de aventureiros, que mineravam na serra de Ouro Branco, juntaram-se com os outros índios da aldêa Carijós e erigiram uma igreja à Nossa Senhora da Conceição, a qual foi creada parochia em 1709; edificaram-se, depois, mais duas invocações de Santo Antonio, no alto do morro d´este mesmo nome, e de Nossa Senhora do Carmo. Em 19 de setembro de 1790, o Governador Luiz Antonio Furtado de Mendonça, Visconde de Barbacena, atendendo à supplica que lhe fora dirigida pelos habitantes da povoação que então se denominava - Campo Alegre dos Carijós-, cujo solo pertenceu a Jeronymo Pimentel Salgado, a elevou a cathegoria de Villa, sob a denominação de “Real Villa de Queluz”, em homenagem ao “Palácio Real de Queluz” que pertenceu, na sua origem, à D.Chrystovão de Moura e mais tarde a         D. Pedro II r D. Maria I, Reis de Portugal; ficando assim desmembrado do termo da de São José a que pertencia o referido Arraial. Foi creada Freguezia por Ordem Regia de 1752 e elevada à Cidade em 2 de janeiro de 1866 pela Lei Provincial       nº 1276. É sede da Comarca de seu nome d´esde 15 de julho de 1872, creada pela Lei Providencial nº 1867. Tem, atualmente, um periódico, publicado aos domingos, sob o título de “Gazeta de Queluz” e direcção do Snr. Antonio Raymundo Alvares da Costa: casa de Camara, Forum, cadeia, cinco escolas públicas de instrucção primaria, duas agências do correio, um collegio regido pelas Irmãs da Congregação da Divina Providencia; hospital em construcção; estação telegraphica, seis pharmacias, seis médicos e seis advogados; três fabricas de cerveja, seis de violas, violões, bandolins etc. e uma de sabão: importantes casas commerciaes de fazendas, armarinho, ferragens, seccos e molhados; cinco padarias, sendo a “Padaria Central”, de propriedade do Snr. Francisco Ananias de Sant´Anna, a primeira que se fundou nesta cidade, em 1882, cinco alfaiatarias, seis officinas de sapateiros e três de funileiros; tres hotéis e diversas casas de pensão; quatro açougues onde são abatidas, diariamente, seis rezes; três Clubs: o “Castilho Lisboa”, “Bohemios”, e o de “Italia”, destinados, aquelles a diversões e este a benificência; duas Sociedades: A “Dramática dos Carijós” que contruio um theatro sob a denominação de “Santa Cecilia” e a “Protecção da Instrucção” cujo fim é prover de vestuários  e utensílios collegiaes aos alumnos pobres, e duas bandas de musica: “Santa Cecília” e “Centro Operario”. A população do districto da cidade, segundo dados estatísticos, é de 9.000 almas. A cidade apresenta agradável aspecto, com excellente clima e acaba de ser abundantemente abastecida de superior água potável devido aos esforços do actual Presidente da Camara, Dr. José Caetano da Silva Campolina e a perícia do hábil engenheiro Dr. Joaquim de Almeida Lustosa, sob cuja direcção foram feitos os serviços de abastecimento que, no momento em que são escriptas estas linhas (2 horas do dia 24 de março de 1907), acabão de ser inaugurados. As suas principais ruas são calçadas e iluminadas à gaz acetyleno, havendo contracto já firmado pela Camara e o Snr. Leonardo A. Gutierrez, para a installação da luz electrica. Acha-se a 980 metros acima do nível do mar e está ligada a Capital Federal e a de Minas pela Estrada de Ferro Central de Brazil, cuja estação “Lafayette” deu nome ao aprazível e populoso bairro onde se acha edificada nas margens do rio “Bananeiras”; trazendo grande incremento para a cidade que se estendeo até ahi, ficando dividida em dois bairros, os quais pela sua extensão já podem ser divididos em dois districtos para terem mais fácil administração. No districto da cidade há ricas jazidas de marganez que estão sendo exploradas pelas seguintes Companhias: “Morro da Mina”, “Gonçalves Ramos & Comp.”, “Societé Anonyme des Mines de Manganese de Ouro Preto” e “A Thum” que também faz parte da exploração de uma mina aurífera na povoação da “Passagem”. Há tambem diversas ollarias, sobressahindo entre estas a “Olaria Esperança”, de propriedade dos Srs. Antonio Dias de Souza e José de Souza Salgado, por ser a única onde se fabricam - tijolos refractarios - empregados em altos fornos de fundição, eguaes aos fabricados na Europa. Estão comprehendidas dentro das divisas do districto as povoações: Buarque de Macedo (estação da E.F.C.B), S. Gonçalo, Bocaina, Passagem, Rancho Novo, Tiririca, Amaro Ribeiro, Violeiros, Muinhos e Fazenda do Sande, Miguel Burnier (estação da E.F.C.B.) que, sob a administração da municipalidade de Ouro Preto, pertencem, por Lei, ao districto desta cidade. Há muitos outros pequenos povoados. A Igreja Matriz, onde se achavam homisiadas as forças Legalistas durante a revolução de 1842, foi alvo das balas inimigas por servir de forte aos mesmos. Estes, respondendo ao fogo que lhes era feito, fizeram desapparecer das fileiras das revoltados a figura, sympathica do filho do General Galvão, Fortunato Nunes Galvão, o qual foi mortalmente ferido no momento, em que de um sobrado próximo a Matriz, fazia fogo para esta. Morreo ao lado de seu pae, sob cujas ordens servia com as forças pelo mesmo comandadas e que se achavam então entrincheiradas no referido sobrado. O Município compõe-se de onze districtos, inclusive o da cidade, e é representado por uma Camara Municipal composta, actualmente dos seguintes cidadãos: Dr. José Caetano da Silva Campolina, Presidente; Capm. José Ferreira de Egypto, vice-presidente; Capm. Luiz Gonzaga de Assis, secretario; Cel. João Antonio Nogueira Coelho, Major Luiz Gonzaga de Mello, Capm. Balduino Augusto de Miranda, Capm. José da Costa Carvalho, João Baptista Henriques, Antonio Moreira da Costa e Altonio Alves dos Reis. Faltam dous vereadores que não tomaram posse. Cada districto é representado por um vereador.”
 

SANTO AMARO
ORAGO DE SANTO AMARO
A povoação de Santo Amaro foi fundada em 1730 por Amaro Ribeiro que alli erigio uma capella à Santo Amaro. Foi um dos seus primeiros povoadores, José da Costa Oliveira, filho de Braga, do qual são netos o Barão de Pouso Alegre e Padre Manoel Rodrigues da Costa, réo da Inconfidência e membro da Assembléia Constituinte e bisneto do Conselheiro Lafayette Rodrigues Pereira que nasceo nesta freguesia em 28 de março de 1834, e é considerado o primeiro jurisconsulto brasileiro. É regado pelo rio Paraopeba e pertencia ao districto de S. Braz de Suassuhy, hoje município de Entre Rios, do qual foi desmembrado pela Lei Providencial nº 2474, de 23 de outubro de 1878. Dista 18 quilometros da sede do município. O seu território confina com os dos districtos de S. Caetano, Gloria, Suassuhy, do município de Entre Rios e Queluz, compreendendo os povoados: Casa Grande, Christiano Ottoni, Ollaria, Figueiredo, Ribeirão do Inferno e Aguada Grande. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria, agencia do correio e uma ollaria onde se fabricam excellentes manilhas para encanamento de água. O digno e virtuoso Vigário da freguesia, José Pedro Gurgel, muito tem se esforçado para a prosperidade do districto auxiliado pelo Cap. Balduino Augusto de Miranda, representante do mesmo districto na Camara Municipal. A sua população é de 4.000 habitantes.

AO LEITOR:
     Dando à publicidade o presente opúsculo, tivemos em vista somente fazer um trabalho de alguma utilidade os que, como eu, tem amor ao seo torrão natal e guiados por esse sentimento ligam importância à historia da sua pátria. Baseando-nos em documentos authenticos archivados na secretaria da Camara d´esta cidade, em informações seguras e insuspeitas de pessôas do município e no diccionario geográfico pelo pranteado Moreira Pinto, architetamos esta pequena obra, em que reunimos a noticia que n´ella se conta sobre esta comarca, julgando que seremos úteis aos nossos patrícios por trazermos a seo conhecimento não só o que não poderiam senão difficilmente ler visto constar de velho archivo e de informações não impressas, como tambem por divulgarmos a detalhada narração feita por Moreira Pinto, cujo livro não está ao alcance de todas as bolsas. A essa narração juntamos esclarecimentos que devíamos possuir como filhos desta terra que estremecemos, e em cuja sociedade temos vivido até hoje. Foi com tal material e levados apenas pelo desejo de prestar pequeno serviço aos filhos de Queluz, especialmente a mocidade escolar, que construímos o minúsculo livro que ides ler e para o qual pedimos vossa indulgência, attendendo ao fim que tivemos em vista: a boa intenção de sermos útil.                                                  XIII – III – CMVII.

 

SÃO CAETANO DO PARAOPEBA 
ORAGO S. CAETANO
    A primeira capella foi erigida junto a ponte sobre o rio “Paraopeba”, que banha o seu território, pelo Padre Caetano da Costa Pereira, isto há oitenta anos mais ou menos, sendo depois demolida e reedificada onde se acha hoje. Confina com os districtos de Santo Amaro, Gloria e Carandahy do município de Barbacena, comprehendendo os povoados: Vieiras, Cabeça d´Anta, Engenho, Francklin etc. Tem um escola publica de instrucção primária e dista da sede do município 24 Kilometros. A sua população é de 1.500 almas.

 

GLÓRIA
ORAGO N. S. DA GLORIA
        O seo territorio pertenceu ao districto de Carandahy, tendo sido desemembrado e encorporado ao de Capella Nova das Dores, pela Lei Providencial nº 767 de 2 de maio de 1856, e mais tarde foi elevado a parochia pela Lei Providencial nº 2944 de 23 de setembro de 1882. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria e agencia do correio. A sua população é de 4.500 almas. Confina com os districtos de S. Caetano, Sant´Anna, Capella Nova e Carandahy do município de Barbacena, comprehendendo os povoados: Christiano Ottoni (estação da E.F..B), Ribeiro, Campinho, Bernardo Correia e Estiva. Dista da séde do município 33 Kilometros.

 

CAPELLA NOVA DAS DORES 
ORAGO DE NOSSA SENHORA DAS DORES
        Foi creada parochia pela Lei Provincial nº 767 de 2 de maio de 1856 e a sua séde transferida para a Capella da Glória em 1864; essas disposições foram, porem, revogadas em 1870 pela Lei Provincial nº 1707, de 4 outubro. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria e agencia do correio. Segundo os ultimos dados estatísticos a sua população é de 6.000 almas. Dista 42 kilometros da séde do município. Confina o seo território com o dos districtos do Gloria, Carrapicho, Sant´Anna e Remédios, S. Domingos de Monte Alegre do município de Barbacena, comprehendendo as povoações Ferreiras, Maia, Palmeira, Palmital, Lobas, etc. 

 

LAMIM
ORAGO DIVINO ESPÍRITO SANTO
    A séde do districto está assentada na margem occidental do ribeirão do mesmo nome, tributário do Rio Piranga pela margem direita, sendo o seu território elevado a districto em 1768 pelo Governador da Capitania D. Luiz Diogo Lobo da Silveira, tendo sido desmembrado da freguesia de Itaverava pela Lei Provincial nº 184 de 3 abril de 1840, a qual pertencia, como curato. As suas divisas actuaes são: do lugar denominado “Sete Cachoeiras” no rio Piranga, e por esta acima dividindo com os districtos de Cattas Altas de Noruega, Itaverava e Capella Nova das Dores, voltando por um espigão que divide as águas com os districtos da Espera a Oliveira, seguindo sempre o mesmo espigão até Sete Cachoeiras “onde teve principio, ficando dentro destas divisas as povoações: Bocoiba, Piranguinha, Anjos, Pega-Fogo, Cachoeira, Arrudas, Quebra e Martins. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria, agencias do correio e uma importante Biblioteca, fazendo parte da mesma uma secção numismática e de manuscriptos onde se encontram os mais raros specimens. O numero de volumes, actualmente, é de 15.000. Foi fundada em 26 de maio de 1898 pelo talentoso e benemérito laminense Napoleão Reis, que occupa elevado cargo na Capital Federal. As letras, n’esse distritcto, são cultivadas de uma maneira admirável, sendo difficil encontrar-se um laminense que não saiba ler e escrever corretamente. A música conta também com fervorosos adeptos, havendo diversas senhoritas inspiradas compositoras. É berço do Dr. Augusto Castro de Lafayette, considerado hoje como um dos primeiros latinistas brazileiros. A sua população é de 3.500 almas. Dista da séde do município 48 Kilometros.


CATTAS ALTAS DE NORUEGA
ORAGO DE SÃO GONÇALO
         O seu aspecto physico é montanhoso e tem algumas ruas bastante íngremes. Não tem rios consideráveis que a atravessam; banham´na os riachos Agapito, Piraptinga, Noruega e Água Suja, todos affluentes do rio Piranga. É percorrido pelas seguintes serras e morros: Gama, Santo Ignacio, Cachoeira, Itaqui, Manoel Antônio, Piteiras, Matta Cavallos, Mantiqueira, Noruega, Agapito, Cascalhudo, Cruz, Ponte do Piranga, Joaquim Fortunato, Matta Burros e Estiva. Dista da séde do município 42 Kilometros, do arraial do Lamim e de Itaverava 15 Kilometros; do Carrapicho 18 Kilometros, de Oliveiram município do Piranga, 24 Kilometros, da cidade do Piranga 30 kilometros, de Santa Rita, município de Ouro Preto, 24 Kilometros e da cidade de Ouro Preto, antiga Capital de Minas, 48 Kilometros. Alem da Matriz tem mais duas Capellas entre as quaes a de S. Francisco, em ruínas e em cujos arredores existem as lavras denominadas “S. Francisco”. Attribue-se a fundação do arraial aos exploradores de ouro que ali havia em grande qualidade. Foi creada parochia em 3 de abril de 1840 pela Lei Providencial nº 181. Tem uma escola publica de instrução primaria, agencia do correio e diversas casas comerciais. Confina com os districtos do Lamim, Carrapicho, Itaverava, Oliveira de Piranga e Santa Rita do município de Ouro Preto, comprehendendo os povoados: Agua Suja, Páo Grande, Jequitibá, Noruega, Piraptinga, Gambá, Damásio, Moreira, Sesmaria e Falleados, alem de muitos outros menores. A população de districto é de 3.800 almas.

 

CARRAPICHO
 ORAGO DE SÃO JOSÉ
          Seo território foi desmembrado do districto de Lamim e fica a esquerda do ribeirão do “Mello”, dividindo com os districtos do Lamim, Sant´Anna, Itaverava e Capella Nova, compreendendo as povoações: Cemiterio, Ribeiro, Araras, etc. Foi elevado a districto pela Lei Provincial nº 874 de 1º de junho de 1858 e a parochia em 25 de outubro de 1881 pela Lei 2848. Dista da sede do Município 36 kilometros. Tem uma escola publica de instrucção primaria, e a sua população é de 2.500 almas.

 

SANT´ANNA DO MORRO DO CHAPÉO
ORAGO DE SANT’ANNA
        Foi capella das parochias de Queluz e Itaverava sendo encorporada a esta ultima pelo art. I * IV da Lei, Provincial nº 181 de 3 de abril de 1840 e à primeira pelo art. XXVII * XV da de nº 472 de 31 de maio de 1850. Foi elevada a parochia pela Lei Providencial nº 2085, de 24 de dezembro de 1874. Seu território é regado pelos rios Guarará, Sesmaria e Papagaio. Confina com os dos districtos de Itaverava, Gloria, Capella Nova e Queluz, comprehendendo os povoados: Pega-Fogo, Área e Estiva. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria e agencia de correio. A sua industria é essencialmente agrícola, havendo importantes fazendas, sobressahindo, entre estas, a da “Fonte Limpa”, de propriedade do Cel. João Antonio Nogueira Coelho, pela sua elegância, decoração e asseio. A população é de 2.800 almas. Dista da sede do município 23 Kilometros.

 

ITAVERAVA
ORAGO DE SANTO ANTÔNIO
         Segundo a tradição, a povoação de Itaverava foi fundada por duas bandeiras de exploradores, vindo uma de São Paulo e outra do Rio de Janeiro, em princípios do século XVIII, as quaes ahi encontraram-se e deixaram algumas pessoas para fazerem plantações que supprissem de gêneros alimentícios durante a exploração. Foi creada parochia por Alvará de 1752. O seo território é montanhoso, porem pequena elevação: seus valles são pouco largos. O rio mais importante que a corta é a Piranga e a única serra que atravessa é a de SO, a O é uma ramificação da Mantiqueira que lhe fica a O e que toma os nomes de serra do Pé do Morro, Moreira, Itaqui e Santo Ignacio, conforme os lugares que percorre. Tem duas escolas publicas de instrucção primaria, agencia do correio e diversas casas commerciais de fazenda, armarinho, seccos e molhados. A sua população é de 5.000 almas. Tem por limites os districtos de Lamim, Carrapicho, Sant´Anna, Cattas Atlas, Queluz e Santa Rita do município de Ouro Preto,  comprehendendo os povoados: Barra, Itaqui, Farias, Pé do Morro, Providencia, Sobrado, Moreiras e muitos outros. Dista da sede do município 30 Kilometros.

 

REDONDO
ORAGO NOSSA SENHORA D’AJUDA
         A sua denominação primitiva era “Alto Maranhão”, sendo depois mudado para “Nossa Senhora d´Ajuda do Redondo” e mais tarde, no Governo do Conselheiro Sant´Anna, para “Redondo”. Attribue-se a origem desta denominação a Redondo da Silva, um dos seus primeiros habitantes. A igreja actual foi reconstituída por Constantino Leite da Silva, visto a primeira ter sido demolida por manifestar indícios de desabamento. Existe n´ella um quadro representando o milagre feito por N. S. d`Ajuda, datado de março de 1630. Existem também, no cartório de Paz, autos datados de 1720. Seu território confina com o dos districtos de Queluz, Suassuhy, do município de Entre Rios e Congonhas do Campo do de Ouro Preto, pelo rio Maranhão, comprehendendo os povoados: Santa Quiteria, Monjolos e Bom Jesus de Mathozinhos, bastante conhecido pelas tradicionais festas do Jubileo, no mês de setembro. A sua população, segundo os últimos dados estatísticos, é de 1.800 almas. Dista 18 Kilometros da sede do município. Tem duas escolas publicas, de instrucção primarias.
***O território do Município confina com os municípios de Ouro Preto, Entre Rios, Prados, Barbacena e Piranga. A lavoura é a da cana, havendo, por isso diversos engenhos movidos a água. Cultiva-se também o milho, o feijão, o arroz e a batata, sendo esta grande quantidade e cuja exportação é feita para a praça do Rio de Janeiro. Há importantes fazendas de crear em que se fabricam excellentes queijos e manteiga, e uma, a da “Água Limpa”, no districto da cidade, de propiedade do Snr. Major Joaquim Ignacio Rodrigues, destinado, exclusivamente, a invernada do gado que tem de ser exportado para o Matadouro de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, e a cuja industria dedicam os genros do referido Major. A medida da exportação annual é de 2.000 cabeças. A população do município consta de 44.400 almas.
Documentos históricos sobre a creação da Villa de Queluz transcriptos da copia authentica dos mesmos, que se acha archivada na secretaria da Câmara deste Município.Na transcrição é respeitada a orthographia e redacção com que são escriptos.”

 

Fonte: Dados oferecidos pelo Amanuense Américo de Souza Lima, colega de Romeu Guimarães de Albuquerque em Queluz de Minas.

Reprodução proibida em partes ou no todo
 

Para saber mais sobre esse tema indico a leitura do livro

"Cartas ao Irmão"

Lafayette Rodrigues Pereira

Editora Brasiliana Volume 342

Companhia Editora Nacional

Direção de Américo Jacobina Lacombe

Introdução e notas de João Camilo de Oliveira Tôrres

Apêndice de Joaquim Rodrigues de Almeida São Paulo 1968